Em Destaque:

A morte na panela e os erros criacionistas

Recentemente, assisti a uma pregação do pastor Adeildo de Oliveira Silva, da igreja o qual congrego, que me chamou muito a atenção por est...

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

A morte na panela e os erros criacionistas

Recentemente, assisti a uma pregação do pastor Adeildo de Oliveira Silva, da igreja o qual congrego, que me chamou muito a atenção por estar próxima de um tema em voga nos últimos tempos e que tem gerado muita polêmica: a maneira com o qual os cristãos estão defendendo o livro de Gênesis - em uma linguagem mais simples, a maneira com o qual os criacionistas têm agido. A pregação falava sobre Adão e Eva? Não... Sobre Dilúvio? Também não... Falava, na verdade, de uma passagem no Segundo Livro dos Reis, que acredito que não só tem ligação com o que acabei de falar, mas sim com algumas atitudes das nossas vidas...

Eu já estava com o desejo de fazer esse artigo aqui no blog faz muito tempo. Naquele dia Deus falou muito comigo e senti na obrigação de transmitir a mensagem, mas as correrias do meu dia a dia não me permitiram fazê-lo. Até que algo me despertou a atenção... dias atrás estava vendo algumas coisas a respeito do famoso químico Marcos Eberlin, um dos maiores especialistas em espectrometria de massas. Esse notório cientista é defensor do Design Inteligente, e o que ele dizia nessa área não era muito diferente do que eu já tinha ouvido do assunto... até assistir vídeos onde vi mesmo dizer, dentre outras coisas, que erosão por milhões de anos destruiria os fósseis e que os fósseis de hominídeos - como o Australopithecus, Homo erectus e Neanderthal - ou eram fraudes ou construídos com massa epóxi. Qualquer paleontólogo que ouvisse isso diria que tais informações são falsas - e realmente são. Fiquei tão pasmo de como um cientista cristão, do nivel dele, poderia ter dito isso, que decidi pôr a mão na massa e escrever esse artigo.

ENVENENANDO INCONSCIENTEMENTE

A nossa história inicial se passa em Israel no século 9 a.C, tempo em que os reis governavam nessa terra, e Deus usava profetas para falar com o povo. Dentre eles, a figura central era o profeta Eliseu, sucessor do profeta Elias. Nosso cenário está em 2 Reis 4:38-41: 


"E, voltando Eliseu a Gilgal, havia fome naquela terra, e os filhos dos profetas estavam assentados na sua presença; e disse ao seu servo: Põe a panela grande ao lume, e faze um caldo de ervas para os filhos dos profetas.
Então um deles saiu ao campo a apanhar ervas, e achou uma parra brava, e colheu dela enchendo a sua capa de colocíntidas; e veio, e as cortou na panela do caldo; porque não as conheciam.
Assim deram de comer para os homens. E sucedeu que, comendo eles daquele caldo, clamaram e disseram: Homem de Deus, há morte na panela. Não puderam comer.
Porém ele disse: Trazei farinha. E deitou-a na panela, e disse: Dai de comer ao povo. E já não havia mal nenhum na panela."

Existem muitas mensagens na internet afora sobre essa passagem, que é, deveras, interessante. Mas poucas ou talvez nenhuma na perspectiva que mostraremos. Afinal, o que uma declaração mentirosa de um cientista cristão teria a ver com essa passagem?

Vejamos... conforme o texto bíblico, o servo dos profetas tinha boa intenção: pegar comida para usar no ensopado. Ele não queria envenenar ninguém, a Bíblia é clara em dizer que o servo não sabia que aquele vegetal do qual pegava para o caldo era venenoso, a saber, um punhado de colocíntidas. Para quem não sabe, colocíntida é um fruto venenoso muito comum na região de Gilgal, onde justamente se passa a história segundo a Bíblia. Basicamente, então, o servo teria cortado a fruta e colocado seus pedaços no caldo, mas reitero, ele não queria envenenar ninguém.

Na hora em que os profetas foram provar do caldo, um ou mais deles percebeu que tinha colocíntidas na panela e gritou para Eliseu a famosa frase: "Homem de Deus! Há morte na panela". E ninguém comeu até que Deus, por meio de Eliseu, purificasse aquele alimento quando foi derramada farinha sobre o caldo.

Por que eu enfatizei tanto que o servo não sabia do que fazia? Simples: porque o servo na verdade representa a maneira com que a maioria dos criacionistas têm agido. Como assim?

DE BOAS INTENÇÕES...

A maior parte dos criacionistas que conhecemos hoje, assim como o atualmente em destaque Marcos Eberlin, são protestantes de várias denominações, especialmente adventistas. Uma vez cristãs, é de se admitir que não são pessoas más ou que querem o mal dos outros, aliás muito pelo contrário, pois a base do cristianismo é o amor ao próximo. O cientista criacionista Leonard Brand disse no livro “Presenting evolution and Creation: How? [Part 1]” o seguinte:

"Muito do material criacionista existente supõe que a evolução é apenas uma teoria sem sentido que oferece às pessoas uma forma de fugir da verdade sobre Deus. Esses criacionistas pensam que, se os evolucionistas simplesmente enxergassem as evidências óbvias, perceberiam que a Criação é verdadeira. […]"

Ou seja, a maioria dos criacionistas veem a teoria da evolução como algo sem nexo que pode afastar as pessoas de Deus. Por isso combatem essa "heresia" com unhas e dentes, como uma espécie de "cruzada santa", temendo que a Bíblia entre em descrédito. A própria estratégia do primeiro grupo de Design Inteligente, de acordo com um documento dos mesmos, refletia também esse objetivo final.

Então, que problema há em se pregar a Palavra de Deus? Nenhum... desde que seja por meios honestos. Noventa e nove por cento dos criacionistas trazem muitos argumentos errados, falhos e por vezes falsos para tentar desacreditar a teoria da evolução, tudo em nome de divulgar a Palavra de Deus. Obviamente isso é errado, pois se vamos falar da Verdade de Deus, vamos usar a verdade para argumentar. Mas a questão é: os criacionistas fazem isso conscientemente? A resposta é um surpreendente NÃO.

Mas como alguém pode mentir sem saber que está mentindo? Os motivos são dois: falta de conhecimento e ignorância (no sentido de ignorar) de argumentos que parecem contradizer sua "fé". Existem alguns criacionistas que, quando erram em alguma coisa e percebem o erro, se retratam ou repensam alguns de seus argumentos, mas o fato é que a maioria não é assim. Diante de uma argumentação que parece colidir direto com sua teologia, o criacionista ignora as evidências: desconversando, ignorando literalmente ou partindo para xingamentos ou maldições.

O bioquímico Marcos Eberlin é Criacionista da
Terra Jovem.
Minha experiência pessoal com criacionistas mostrou-se exatamente dessa forma. Apenas alguns poucos consigo manter um diálogo amigável - um deles, Dan de Barna, está lançando um livro intitulado "La Manzana de Adan", que traz uma perspectiva diferente, mas ainda interessante, da antropologia evolutiva (acesse o E-book aqui), e o outro que - pelo menos no início - foi bem receptivo comigo, por incrível que pareça, foi o próprio Marcos Eberlin, mas há outros que já me chamaram de herege, mesmo sabendo que acredito em Deus e na Bíblia! Tem um criacionista, que não quero citar o nome (embora seja bem conhecido nas redes sociais), que claramente me ofendeu e depois distorceu minhas próprias palavras para dizer que estava sendo "perseguido".

Mas... pessoas como ele são más? Não. São cristãos que acredita em Deus e na Bíblia. Uma pessoa boa de se dialogar (desde que o assunto não seja criação vs evolução) e de bom coração. Então, por que criacionistas, como o Marcos Eberlin por exemplo, usam argumentos errados? Porque por vezes os tais não sabem quase nada de paleontologia e biologia (a área de estudo do Eberlin é apenas química) e preferem continuar sem saber para não admitir que tem algo errado em seu modelo teológico. Simples assim.

ALGUNS EXEMPLOS

No nosso blog temos uma lista dos mais recorrentes erros criacionistas (acesse-a clicando aqui). Mas abaixo destacamos alguns desses erros:

Não existem elos perdidos. Quase todos os criacionistas, senão todos, usam esse argumento. O termo "elo perdido" nem é usado mais, porque a evolução não acontece de forma sequencial, sendo o termo correto "fósseis intermediários ou transicionais". Mas dizer que não existem fósseis transicionais é simplesmente falso. Milhares de espécies consideradas transicionais estão perfeitamente catalogadas e os criacionistas sequer conhecem 10 por cento delas; daí o erro na argumentação.


Se nós evoluímos do macaco, os macacos não deveriam existir hoje. Essa argumentação já foi usada pelo pastor Silas Malafaia e ignora o fato de que a teoria da evolução NÃO alega que o homem evoluiu do macaco, mas que ambos evoluíram de um ancestral comum. Muitos cientistas acreditam que um pequeno grupo de criaturas se afastou do grupo principal e tornou-se isolado, o que os levou a formar uma nova espécie. Os fatores para esse acontecimento, porém, é o que realmente varia dentro do âmbito da evolução.

Não existe aumento de informação genética. Essa argumentação é muito usada pelos criacionista Nahor Neves e Sodré Gonçalves e é uma meia-verdade. Há, realmente, muitos pontos a serem esclarecidos sobre como a informação genética se renovara no processo evolutivo, porém, existem sim mecanismos que aumentam informação, e o principal deles é a recombinação genética. Acontece que o DNA é formado por diversas combinações de genes. Assim como é comprovado pela Teoria da computação, a alteração de apenas um gene pode sim fazer com que haja uma recombinação genética, daí os nucleotídeos gerados por novas combinações serão diferentes, e a informação poderá sair maior do que era anteriormente. Em outras palavras, recombinação genética pode gerar sim aumento de informação.

Todos os crânios fósseis da evolução humana ou são fraudes ou foram feitos de massa epóxi. Argumentação advinda de Marcos Eberlin, e posso responder isso com minha experiência pessoal: Conheço pesquisadores da área que estudam os fósseis encontrados, já vi diversas réplicas dos fósseis copiadas de moldes originais, li bastante coisa a respeito e posso dizer que, tirando a fraude do Homem de Piltdown, do dente do Homem de Nebraska e até de certo modo o Homo floresiensis, o resto não é fraudado nem feito de epóxi: os fósseis são tão reais quanto o fóssil de trilobita que tenho na estante.
Adauto Lourenço defende o
"Argumento da Termodinâmica"

A erosão tem o poder de destruir o registro fóssil até 3 vezes. Outra de Eberlin, que é uma meia verdade. A erosão consegue sim e estragou diversos pontos do registro fóssil, quase que noventa e nove por cento pra falar a verdade. O que nós encontramos são exceções a regra - e ainda assim a maioria ou é fragmentada ou deformou-se por erosão. Ou seja, conhecemos apenas um pedacinho da fauna e flora de milhões de anos atrás, mas o suficiente para aprendermos alguma coisa. Ou seja, esse argumento não pode ser usado em favor de uma Terra Jovem, que supõe que tanto a formação de fósseis como o registro do mesmo é abundante, e não é.

A 2ª lei da termodinâmica começou na Queda do Homem e invalida a teoria da evolução. Argumento principalmente usado por Adauto Lourenço e Silas Malafaia. A lei afirma que a entropia aumenta com o tempo. Entretanto, a entropia nem sempre é ruim. Digestão e fricção são formas de entropia. Se a Segunta Lei não estivesse em efeito na criação, Adão e Eva teriam resvalado ao caminhar sobre o Jardim do Éden. Respiração também é uma forma de entropia, até mesmo o desenvolvimento de um embrião em um adulto gera entropia, mostrando que a Segunda Lei da Termodinâmica não é sempre uma maldição... Da mesma forma, entropia não é a mesma coisa que, literalmente, desordem, e não tem nada a ver com evolução biológica.



Esses são apenas alguns poucos exemplos dos erros que os criacionistas cometem. Para uma exemplificação mais sólida acesse a nossa página sobre "mentiras por trás do criacionismo da terra jovem" ou esse artigo.


OS FINS JUSTIFICAM OS MEIOS?

Então, de maneira análoga ao texto de 2 Reis, criacionistas têm colhido muitas colocíntidas sem saber que são venenosas e distribuído para as pessoas ao seu redor. Eles não tem a intenção de "envenenar" ninguém. O servo da passagem bíblica apenas queria ver os filhos dos profetas felizes e de barriga cheia, saciados com um ensopado suculento. Os criacionistas querem ver as pessoas professando que Deus é o Criador, que a Verdade está em Sua Palavra e que Cristo Salva. Um queria saciamento físico para os seus colegas, os outros nos dias de hoje querem saciamento espiritual para seus irmãos em Cristo e pessoas ao redor.

Entretanto, como diz um velho ditado: "de boas intenções o inferno está cheio". Não interessa se a intenção é a mais pura possível, se você usa de meios prejudiciais para concretizar a intenção, as consequências podem ser devastadoras. Leonard Brand - que é criacionista - admite e demonstra em poucas palavras o que a "colocíntida criacionista" do nosso texto pode fazer:

"Ainda que bem-intencionadas, algumas pessoas usam essa abordagem com os jovens cristãos, muitos dos quais frequentam universidades públicas onde cientistas lhes apresentam um gigantesco conjunto de dados que destrói suas crenças criacionistas. Então, esses jovens descobrem que a evolução não é uma teoria estúpida, mas pode ser apoiada por uma esmagadora variedade de evidências. Nesse processo, muitos deles acabam perdendo a fé."

Agora, imagine uma pessoa que não é cristã ao comparar a argumentação criacionista com os dados contrários ao criacionismo... Dificilmente essa pessoa irá se converter a Cristo, justamente devido ao mal testemunho que acabam dando, pois mentira não deixa de ser pecado. Ou seja, o criacionismo, como têm sido pregado, tende mais a afastar as pessoas de Deus do que as atrair.

Isso, infelizmente, faz muito sentido, pois como está em Tiago 3:11 e 12, não podem jorrar dois tipos de água de uma mesma fonte, nem uma figueira pode produzir azeitonas. Proclamar as boas novas de Deus (a verdade) com argumentos errados (mentira, pecado) vai gerar consequências ruins. Um ensopado de colocíntidas pode parecer saboroso, mas quando provado pode ser mortal.

COLOCANDO FARINHA

Segundo o texto bíblico, o profeta Eliseu, ao ser avisado que "havia morte na panela", pediu para que colocassem farinha no caldo venenoso. Certamente, Deus lho impeliu a fazer isso. Então, quando colocaram a farinha na panela, seguindo a ordem do homem de Deus, um milagre aconteceu: o caldo, que antes era venenoso e mortal, tornou-se comestível! Não há propriedades físicas na farinha que eliminem o veneno das colocíntidas, sendo assim, o que aconteceu foi realmente um milagre da parte de Deus, por intermédio do profeta Eliseu. Um milagre acontece em momentos extremos e aquele era um momento onde apenas a intervenção divina seria a solução.



Colocando para os dias atuais o texto, e levando em conta a analogia da atitude do servo com a atitude da maior parte dos criacionistas, apenas a verdade de Deus é que pode ser o antídoto para resolver o problema do mal da panela, e da mesma forma, do mal que o criacionismo acaba por trazer. Isso porque, na verdade, o criacionismo não salva ninguém. Milhões de anos ou 6 mil anos não salva ninguém. Tipos básicos ou fósseis transicionais também não. Dilúvio de Noé ou Seleção Natural, muito menos. Quem salva é somente Jesus Cristo, e o resto deve ser apenas detalhes. Jesus é o mais importante. Da farinha é que vem o pão, e a Bíblia diz que Cristo é o pão da vida.

Muitos grupos criacionistas - principalmente os de Terra Jovem - tratam suas ideologias como uma religião, como se você só pudesse ser salvo se professar o criacionismo. O instituto Answer in Genesis e a Igreja Adventista do Sétimo Dia agem exatamente dessa maneira. E, como vimos, muitos posicionamentos criacionistas são "colocíntidas disfarçadas", e dependendo da situação, a pessoa que comer desse prato pode até perder a fé em Deus. Por isso, quando vamos pregar as boas novas da Palavra de Deus, não devemos nos ater a pregações criacionistas ou algo do tipo, mas sim a pregação do Evangelho. É isso que vai garantir a salvação de uma pessoa: o sacrifício de Jesus na cruz por nós. A mensagem genuina do evangelho de Cristo não tem "colocíntidas", é "farinha pura", e ela consegue trazer de volta a fé até mesmo aquele que se decepcionou ante os erros do criacionismo.

Isso não quer dizer que o estudo das Origens é irrelevante. Ele tem sua importância, mas não para pregar a mensagem bíblica, cujo centro é Jesus. Muitos têm tratado a Bíblia como um livro de ciência, mas ela jamais teve essa intenção. Entretanto, sempre que se estuda um tema como criacionismo e evolucionismo, é importante analisarmos o tema com a mente aberta. Procurar estudar bastante, analisando cuidadosamente os fatos e dados,ter uma vida de oração e meditação na Palavra de Deus é essencial para que não venhamos cair em mais e mais erros criacionistas. O foco do cristão deve ser a mensagem do Evangelho, sempre. Essa é a "farinha espiritual de Eliseu".

CONCLUSÃO

E então, será que você, caro leitor, também não têm agido como o servo que trouxe sem intenção a morte na panela? Será que, na intenção de pregar que Deus é o Criador, você têm oferecido colocíntidas para as pessoas sem perceber? E às vezes nem é no âmbito criacionista, pois ações erradas em prol da pregação do evangelho podem acontecer de monte, e sempre tendem a dar resultados desastrosos. Devemos tomar muito cuidado com a mensagem que trazemos de Deus e do testemunho que damos da mesma. Mentir em nome do criacionismo ou do evolucionismo, por exemplo, não é uma boa ideia...

William Lane Craig é um intelectual
da igreja Batista e Criacionista Progressivo
Muitos criacionistas agem dessa forma, ignorando argumentos em favor do processo evolutivo e de uma Terra bem mais antiga que meros 6 mil anos, e o motivo disso é quase sempre porque isso "parece" entrar em conflito com a Bíblia e, caso o criacionista aceite tais evidências, pode perder a sua fé. Daí, preferem lançar mão, sem saber, de "colocíntidas". Mas não devemos temer isso. A nossa fé não deve ser firmada em "pressupostos científicos", pois "a fé é o firme fundamento das coisas que não se veem, mas se esperam" (Hebreus 11:1). Você pode aceitar uma terra antiga e a teoria da evolução sem problemas; reafirmando sua fé em Deus, em Cristo e na Sua Palavra independente de quaisquer pressupostos, você tem a garantia da salvação. Até porque o criacionismo da terra jovem é uma ideologia dentre muitas. A exemplo de outras, temos a teoria da lacuna (Dep. Marco Feliciano), a teoria dia-era (Hugh Ross) o criacionismo progressivo (William Lane Craig, Fred Heeren e eu mesmo) e também o próprio evolucionismo teísta (Francis Collins e Alister McGrath). Todas essas pessoas, que defendem essas posições diferentes do criacionismo da Terra Jovem, se servirem a Deus de todo coração, terão a mesma porção no céu que qualquer criacionista de qualquer segmento religioso.

No final das contas, o que Deus quer é um coração quebrantado que o adore em Espírito e em verdade e que venhamos saciar-nos da Sua Palavra simples e pura, que é boa, perfeita e agradável. Pra Deus, pouco importa sua posição científica.

Que nós (nós porque também me incluo como receptor dessa mensagem) possamos orar e vigiar sempre, procurar buscar sempre conhecimento correto acerca das coisas com mente aberta, e procurar oferecer às pessoas não colocíntidas venenosas, mas sim o Pão da Vida de Cristo. A Ele toda a glória, toda honra, e todo louvor! Amém!

BIBLIOGRAFIA

Leonard Brand e Cindy Tutsch, “Presenting evolution and Creation: How? [Part 1]”, Ministry, fevereiro de 2005, p. 21, 30

Leonard Brand, Faith, Reason, and Earth History: A Paradigm of Earth and Biological Origins by Intelligent Design, 2ª edição

http://www.ufrgs.br/paleodigital/Registro_fossil.html

http://sombradoonipotente.blogspot.com.br/2013/02/eliseu-e-morte-na-panela.html

http://www.esbocosermao.com/2013/10/tirando-morte-da-panela.html

https://missaoposmoderna.wordpress.com/2013/03/17/criacionismo-ainda-viavel/

http://www.reasonablefaith.org/why-is-evolution-so-widely-believed

https://www.youtube.com/watch?v=1od8N3tEg0M

http://www.universocriacionista.com.br/

https://forgottenthoughtsinapensieve.wordpress.com/2014/10/16/marcos-eberlin-design-inteligente-vs-evolucao/

https://www.youtube.com/watch?v=H5pP-s_DTpk&t=1h9m44s

http://meteoropole.com.br/2013/02/malafaia-e-a-termodinamica-argumento-mais-velho-do-que-eu-parte-1/

http://www.dicionarioinformal.com.br/coloc%C3%ADntidas/

4 comentários:

  1. Na china tem fosseis de caucasianos, e na america do sul de negroides, isso prova o diluvio porque para haver biotipos semelhamtes entre si estes padroes fosseis nao poderiam ter coexistido , mas mortos e extintos e no lugar deles pouquissimos ascendentes (provavelmente uma unica familia) deveria reabitar toda a area em cima de uma extincao de padroes dessemelhantes, do tamanho da sua ocupacao (dado o fato que homens se cruzam com qualquer outro padrao morfologico, o que criaria variacao naquela vasta area habitada e nao homogeniedade.http://www.adamsapple.com.br/2013/10/tempo-de-formacao-do-cambriano-ao-pleistoceno-i-projeto-de-pesquisa/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Informação correta, isso inclusive é abordado no texto do artigo que fala da Torre de Babel. Mas... o que isso tem a ver com este artigo?

      Excluir
  2. Pelo fato de não ter uma religião, sinto-me a cavalheiro para dizer que, ao negar a legitimidade dos fósseis, rotulando-o como uma farsa, o cientista famoso químico Marcos Eberlin, um dos maiores especialistas em espectrometria de massas, esse notório cientista. usou do poder dos seus conhecimentos para mentir, tentando iludir e enganar. Aos seus bondosos olhos, um mentirosinho bobo cheio de boas intenções. Aos olhos de Deus, um falso profeta, um enganador, Aos olhos dos críticos neutros, apenas um cientista indígno de confiança.

    ResponderExcluir
  3. A morte na panela mostra que alguem erra bem intencionado mais isso nao o exime de responsabilidades.Está escrito que aquilo que o homem semear ele colherá, pode ser perdoado do feito mais vai colher e essa verdade vemos se cumprir no dia a dia.A revelacao da verdade nao é para todos, Jesus disse te agradeco pai porque ocultaste dos sabios e entendidos e as revelaste aos pequeninos.Se é revelacao significa quem nem tudo é para sabermos.Deus criou dizendo HAJA e tudo foi como ele determinou e o verbo evidenciado acima que estava com ele na criacao depois se fez carne habitou entre nós e disse a ciencia se multiplicará ou seja trará conhecimentos,revelacoes,invencoes e destruicoes.Ela tem com descobertas, pesquisas, teorias e tecnologias, mostrado na verdade, como nosso Deus é grande e verdadeiro.No GENESIS tem uma palavra que muitos ignoram "e foi a tarde e a manha do dia..."Pedro diz que 1 dia para o Senhor é como 1000 anos e 1000 anos como 1 dia "é só um pequeno exemplo, de que para Deus tudo estava acontecendo quando ele dizia HAJA. DEUS nao está preso ao tempo e espaco, é por isso que ele se identifica a moises como EU SOU.Com certeza tudo foi um processo de trilhoes,bilhoes,milhoes e milhares de anos acontecendo exatamente como Deus disse em tudo que vemos e nao vemos no visivel e invisivel.DEUS É DEUS.A ELE A HONRA E A GLORIA PARA TODA ETERNIDADE AMÉM.Obrigado.

    ResponderExcluir