Em Destaque:

A morte na panela e os erros criacionistas

Recentemente, assisti a uma pregação do pastor Adeildo de Oliveira Silva, da igreja o qual congrego, que me chamou muito a atenção por est...

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Os Evolucionismos Teísta e Deísta - certos ou errados?

Conciliar a teoria da evolução com a idéia de um Criador parece, por vezes, uma tarefa impossível ou no mínimo arriscada. Claro, muitos cristãos tentam fazer essa conciliação. Por outro lado, os opositores da evolução tentam de todas as maneiras alertar a respeito da ameaça que tal conciliação pode trazer a fé cristã.

Por isso, nesse artigo traremos um estudo a respeito de duas teses que tentam unir Deus e a teoria da evolução. São elas o Evolucionismo Deísta e o Evolucionismo Teísta. Qual a diferença entre elas? Qual está certa, se é que alguma está certa? Onde a Bíblia entra nessa história toda? Essas e outras perguntas serão tratadas com linguagem fácil mas cuidadosa nesse artigo, e dessa maneira aproveitaremos o gancho para falar um pouco da visão que nosso blog possui a respeito desse tema.

Mas, antes de entrarmos a fundo nesse tema, é necessário deixar claro um fato que muitos ainda fazem confusão hoje: teoria da evolução é diferente de evolucionismo... Evolucionismo é a cosmogonia que pressupõe a evolução do universo e a vida por fatores extremamente naturais, enquanto que a teoria da evolução é um campo da biologia que estuda as transformações nas espécies e como por meio do processo evolutivo elas vieram a adquirir as formas que vemos hoje. Entender esses conceitos é muito importante para compreendermos o que quer dizer de verdade o Evolucionismo teísta e deísta.

SER DEÍSTA E SER TEÍSTA É DIFERENTE

Geralmente, Evolucionismo Deísta e Teísta é enquadrado por muitos cristãos como se fosse a mesma coisa, sendo ambos generalizados como "Evolucionismo Teísta". Mas essa generalização que é feita não está bem correta, pois o Evolucionismo Teísta traz uma visão bem diferente da do Evolucionsmo Deísta. Antes de analisarmos ambas as idéias, apresentaremos os reais conceitos dos quatro tipos de evolucionismo, incluindo os nossos objetos de estudo:

Evolucionismo "clássico" ou ateísta - O universo e a vida se desenvolveram naturalmente, sem interferência divina nenhuma. O ser humano é fruto de um processo evolutivo aleatório. Para este também podemos usar o nome de "materialismo" e "naturalismo".

Evolucionismo Deísta: Deus foi a causa inicial da origem do universo e a vida. A evolução das espécies, porém, ocorreu naturalmente ao longo dos milhões de anos. O ser humano é fruto de um processo evolutivo aleatório, embora teria recebido o sopro divino ao final de sua evolução.

Evolucionismo Teísta: O real conceito é de um desenvolvimento da vida e do universo guiado e direcionado por um Projetista divino (Deus). O ser humano é fruto de um processo evolutivo ordenado e regido por Deus, tendo, na sua conclusão, recebido o sopro divino.

Observe que o verdadeiro conceito do Evolucionismo teísta se aproxima do chamado "Design inteligente" e da "Tese da Criação Especial", uma vez que coloca Deus como autor pessoal de todas as criaturas existentes no planeta, diferindo apenas de como estas criaturas foram feitas por Deus; enquanto que o Evolucionismo Deísta, que é ligeralmente mais disseminado hoje entre alguns cristãos, coloca Deus apenas como a "causa primária".

Nós  já sabemos que o Evolucionismo Ateísta não está em conformidade com o que a Bíblia nos transmite, e isso é mais do que óbvio... Porém, o que podemos dizer a respeito desses "evolucionismos" restantes? Eles estão corretos? É o que veremos agora.

GÊNESIS = FICÇÃO?

Primeiro, então, iremos analisar o Evolucionismo Deísta. Como já afirmamos, essa tese visa colocar a pessoa do Deus da Bíblia no início de tudo, deixando, entretanto, um processo evolutivo aleatório terminar o trabalho, incluindo a natureza do homem. Essa idéia concilia-se muito bem com o evolucionismo ou materialismo, que alega que a vida teria se desenvolvido naturalmente. Consequentemente, aceita os estudos da biologia e geologia atual, não se opondo a nenhum deles.

O próprio pai da teoria da evolução, Charles Darwin, era Evolucionista Deísta... Em um trecho do livro "A Origem das Espécies", ele publicou:

“Há uma verdadeira grandeza nessa visão da vida, com seus poderes diversos, atribuídos primitivamente pelo Criador a um pequeno número de formas, ou mesmo a uma só; e, enquanto o nosso planeta, obedecendo à lei da gravitação, continua a girar na sua órbita, uma quantidade infinita de belas e admiráveis formas, saídas de um começo tão simples, não tem cessado de evoluir”.

Diante desta suposição, alega-se então que o Relato da Criação do livro de Gênesis é uma alegoria, ou seja, não é o relato de uma coisa que realmente aconteceu; seria, então, uma espécie de "parábola". O próprio Darwin pensava assim. Muitos cristãos atualmente também admitido isto, mas... isso pode gerar alguns problemas teológicos graves.

Veja por você mesmo. Admitir que esse relato a respeito das origens é fictício seria admitir que:

- Deus não criou diretamente os seres vivos;

- Adão e Eva não foram os reais pais da humanidade;

- O pecado não veio por meio da desobediência do primeiro casal;

- A morte humana não veio por meio da desobediência do primeiro casal;

- O quarto mandamento dos 10 mandamentos partiu de bases fictícias

- Jesus se equivocou quando afirmou que Adão e Eva existiram de verdade (Mateus 19:4-5)

- Jesus morreu na cruz para salvar a humanidade acerca de algo que jamais aconteceu;

- O plano de redenção de Deus para com o homem, consequentemente, não tem base em algo real...

Percebe como a doutrina cristã é fortemente abalada quando enquadramos o Gênesis como alegórico? Isso ocorre porque a única leitura que se encaixa com a doutrina bíblica e cristã é a contextual, ou como alguns dizem, literal. Todo o conceito de salvação perde o sentido se consideramos que Adão, por exemplo, não existiu... Afinal, se não houve pecado original, por que Jesus teria entregado Sua Vida? Em vão??

Admitindo esse modelo, também ficaria difícil de explicar o porquê do pecado e da morte por meio de um só homem e da necessidade da justiça e da vida por meio de um só Salvador. Se houve uma evolução aleatória que se seguiu sozinha, Deus não deixaria a natureza resolver o problema??

Em outras palavras, admitir que o Gênesis é literal não é sinônimo de fanatismo, mas sim de coerência com a fé. Aliás, o relato de Gênesis contém muito embasamento real - basta ver o artigo " Gênesis - Seria tudo um mito? " desse mesmo blog. Mas claro, o fato do relato de Gênesis não ser fictício não significa que ele tem que ser da maneira que a maioria das pessoas imagina... Como assim? Trataremos desse ponto mais adiante...

UM DEUS AUSENTE?

Apesar de admitirem o relato de Gênesis como uma alegoria, os Evolucionistas Deístas não descartam o restante da Bíblia. Porém, nós sabemos que a Bíblia fala em diversas passagens a respeito da Criação (se você já leu a maior parte dos textos desse blog sem dúvida deve ter percebido isto). Mas quase todas estas menções coloca Deus como um Criador Pessoal, isto é, que participou ativamente dos eventos descritos no Gênesis. Muito além disso, a Bíblia deixa claro em diversas passagens que Deus realmente é poderoso para criar vida de não-vida. Um exemplo muito interessante se encontra em Êxodo , onde Moisés, ao tocar sua vara no chão, faz com que literalmente toda a poeira do Egito miraculosamente se transforme em piolhos...
E a respeito disso, temos que nos perguntar: como é que Deus esteve ausente no processo da Criação se Ele esteve presente diretamente em toda a trajetória do ser humano?

O Evolucionismo Deísta acaba, então, se revelando com isso apenas uma "válvula de escape" para se aceitar um processo evolutivo aleatório ante a realidade acerca de Deus. Seria uma maneira de se evitar conflitos entre materialistas e cristãos. Mas veja: admitir essa tese e alegorizar o Gênesis faz a Bíblia dizer aquilo que ela não diz. Será correto interpretarmos a Palavra de Deus dessa maneira? Ao meu ver, pelo menos, não. Não há, definitivamente, consistência de uma fé cristã genuína com o Evolucionismo Deísta - isto na minha opinião e de acordo com o que evidenciamos aqui.

Mas e o (verdadeiro) Evolucionismo Teísta??

UM DEUS PESSOAL?

A posição denominada "evolucionismo teísta" se coloca contra a idéia de que Deus foi apenas a causa inicial. Para esta tese, Deus esteve presente em todo o processo evolutivo. Admitir isso já, logo de cara, se harmoniza com a idéia de um Deus pessoal, que é a idéia que a Bíblia inteira traz a respeito da participação de Deus em Sua Criação. Ora, um Deus que criou cada uma das formas de vida existentes é exatamente aquilo que se espera de um Deus que esteve presente durante toda a história da humanidade, demonstrando todo o seu poder e seu amor por sua obra prima (nós). Por isso mesmo, esse ponto de vista se aproxima da Tese da Criação Especial.

Onde estariam, então, os erros do Evolucionismo Teísta? Basicamente, estaria em admitir que o Gênesis, de novo, é alegórico... Sim, pois existem muitos evolucionistas teístas que consideram o relato de Gênesis como uma alegoria, embora estes admitam que Deus esteve presente no processo evolutivo.

ENTENDENDO MELHOR

Abaixo, confira uma esquematização que exemplifica claramente as filosofias diferentes que existem relacionadas ás origens, incluindo os "evolucionismos" do qual acabamos de falar. Nesse esquema, a linha grossa á esquerda representa a coluna geológica. A seta no modelo 1 (correspondente ao Criacionismo da Terra Jovem) mostra a direção de tempo para todos os modelos, com as camadas mais antigas da coluna geológica estando à base.




PROBLEMAS APONTADOS PELOS CRIACIONISTAS

Esses são os reais problemas que trazem os evolucionismos Deístas e Teístas. Além destes, existem outros problemas (que se enquadrariam a ambos) apontados pelos criacionistas opositores a esse modelo, em especial, novamente, o famoso Criacionismo da Terra Jovem. Mas, assim como ocorre quando esses mesmos criacionistas criticam a teoria da evolução, os argumentos que apresentaremos a seguir também são falaciosos... Vejamos o argumento e a refutação, com bases lógicas e bíblicas, desse argumento:

1º Argumento - Ser "evolucionista-teísta" é admitir que há mais plausibilidade da fé na ciência que da fé nas Escrituras e no poder de Deus. A lógica da Ciência seria o norte para a leitura da Biblia.

Refutação do 1º argumento: Deus muitas vezes usou fenômenos naturais para realizar milagres. Podemos citar vários exemplos, sendo um deles a transformação que Jesus fez da água em vinho, que por incrível que pareça é algo cientificamente possível... mas que necessitaria de um reator nuclear para acontecer!! O mesmo pode-se dizer do processo evolutivo (aleatoriamente não teria ocorrido) e, portanto, somente o Evolucionismo Deísta traria esse problema consigo, não o Teísta, que admite a intervenção divina na evolução.

2º Argumento: O "evolucionismo-teísta" degrada a dignidade e deferência da vida humana, ligando-a à mesma esfera da dos animais.

Refutação do 2º argumento: A Bíblia deixa claro a distinção da matéria física do homem (corpo) com relação a matéria espiritual do homem (alma e espírito). É a parte espiritual que nos torna a Imagem e Semelhança de Deus, pois fisicamente, realmente somos animalescos... Se não fôssemos, por que o nosso físico é assustadoramente semelhante ao dos primatas em aspectos gerais, especialmente com relação ao interior (ossos e órgãos)? Ademais, a Bíblia admite essa condição física do homem em Eclesiastes 3:18-22, dizendo que o homem, em si, é como um animal. O trecho bíblico em Eclesiastes 3:18 usa exatamente estas palavras...

3º Argumento: O "evolucionismo-teísta" declara que a morte e o sofrimento não vieram com o pecado de Adão e como resultado de sua maldição. Sendo assim, como o sofrimento de Jesus e sua morte física pagam a penalidade pelo pecado e nos garantem a vida eterna? E como é que pode estar escrito: ""Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo" (1 Corintios 15:22)?

Refutação do 3º argumento: A morte no contexto que se apresenta em 1 Coríntios 15:22 e em Romanos 5:12 diz respeito á morte humana - e também pode se referir a morte espiritual - mas em momento algum vemos a alegação de que, no princípio, os demais seres vivos eram imortais... O motivo pelo qual a criação "geme" em Romanos  não quer dizer isso também, mas diz respeito a perda do equilíbrio entre o ser humano e a natureza (note que o texto diz que a criação ficou sujeita á vaidade "não voluntariamente, mas por vontade daquele que a sujeitou"). Isso fica ainda mais claro em Gênesis 3:17-20, quando Deus amaldiçoa a Terra por culpa do homem. Acontece que existe alguns elementos na Bíblia que mostra que havia algum tipo de "dor" na natureza e morte ou degeneração dos demais seres antes do homem, e abaixo seguem os mais relevantes:

- Quando Deus amaldiçoou Eva, Ele disse: "multiplicarei as suas dores de parto". Se Deus multiplicaria isso significa que alguma dor havia no princípio...

- As plantas são seres vivos, e segundo Gênesis 1:? elas foram dadas como alimento... Logo vemos seres vivos se alimentando de outros seres vivos, claramente, antes da Queda. Temos então plantas morrendo antes da queda

Há um estudo muito detalhado sobre isso nesse mesmo blog: veja a parte 1, a parte 2 e a parte 3.

No entanto, o que nós não sabemos, e a Bíblia não responde, é o porquê dessa degeneração antes do pecado. Como isto é algo que não está claro na Bíblia, penso que não está na vontade de Deus que, por hora, saibamos a resposta... Ou seja, não é certamente algo que influenciará em nossa salvação em Cristo. Certamente Deus nos dará todas as respostas que precisamos, mas no tempo d'Ele.

4º Argumento: A Bíblia diz que Deus é perfeito (Mateus 5:48) e Sua criação, perfeita (Deuteronômio 32:4) e muito boa (Gênesis 1:31). O apóstolo João nos diz que Deus é amor, luz e vida (I João 4:16 / 1:5 / 1:1-2).
A interpretação naturalista, ao admitir os processos evolutivos como principais agentes na diversificação da vida (principalmente com a morte, mas incluindo também a fome, as doenças e o predatismo em vários níveis) coloca-se contra estas e várias outras passagens bíblicas.

Refutação do 4º argumento: Parece estranho admitir isso, mas só os fatos das plantas - que são seres viventes - serem predadas pelos animais e por Adão antes da queda já nos faz questionar a respeito disso. E se as plantas anteriores a queda morriam e se degeneravam, conforme já vimos e é mais do que claro em Gênesis, por que os animais abaixo do homem teriam de ser imortais (visto que segundo a Bíblia os animais não possuem "alma")?

O fato é que a Bíblia não discute o assunto acerca da morte antes da queda e do porquê de Deus ter permitido ou criado tal coisa. O que sabemos é que a morte, a degeneração no Reino Animal é algo que faz parte da natureza... Mas essa mesma morte não era aplicado ao homem, visto que essa degeneração foi aplicada ao homem como consequência de sua desobediência. Entenda: o homem originalmente não fora criado para morrer...

De qualquer forma, essa não é uma questão relevante para Deus, pois se fosse estaria em Sua Palavra.

5º Argumento: Todos estes modelos [que procuram enquadrar a teoria da evolução com o que está na Bíblia] partilham de ideias bíblica de que a natureza é o resultado de propósito divino, a ideia de a Deus criou a vida e a partir daí ela foi se graduando e evoluindo através de longos períodos de tempo.
(retirado de: http://adven.webnode.com.br/news/criacionismo-x-evolucionismo-x-evolucionismo-teista/)

Refutação do 5º argumento: Há aí uma generalização equivocada, como se qualquer pensamento que aceitasse ao mesmo tempo a evolução e a Bíblia fosse Deísta... Como vimos anteriormente, há diferenças claras entre o evolucionismo teísta e o deísta.

QUAL ESTARIA MAIS CORRETO?

Depois de conhecermos exatamente os elementos que trazem os evolucionismos teísta e deísta, nada melhor que nos perguntarmos: Qual deles é o certo? Ou melhor, existe algum que é certo?

O dono da verdade somente é Deus. Por isso, como estamos tratando de teses extra bíblicas, temos que tomar muito cuidado em ficar estabelecendo "verdades absolutas". Por isso, dissertaremos aqui sobre qual é a mais plausível, diante dos fatos, e qual é a posição desse site acerca disso.

E a resposta é: o Evolucionismo Teísta possui ALGUNS pontos corretos. O fato é que o Evolucionismo é algo que realmente não há como se encaixar com a Bíblia, porém a idéia de um processo evolutivo sendo conduzido e milimetricamente planejado por um Projetista Divino é algo que faz sentido e se aproxima da velha idéia de Criação Especial. Porém, a parte correta do Evolucionismo Teísta só vai até aí. Deus não interviu apenas em um ou outro caso de evolução ou tão somente esteve presente no processo... Na realidade, a evolução foi simplesmente o método com o qual Deus desenhou os seres vivos. Seria uma "criação por processos de evolução", onde o mecanismo evolutivo prevalente não seria a "seleção natural", mas sim uma "seleção espiritual" (se é que podemos chamar assim).

Assim como um oleiro molda um vaso, Deus teria moldado toda a vida (o que faz alusão á palavra em hebraico para "formar", em Gênesis 2:7, que possui o sentido de "moldar") a partir do pó da terra - mas soprou o seu Sopro Divino no primeiro ser humano -  Adão. Antes de Adão não haviam seres humanos, apenas hominídeos inteligentes mas agindo por instinto e sem a capacidade cerebral nossa. Deus completou Sua obra no campo físico, ou em outras palavras, terminou a moldagem do vaso, quando Adão foi criado. Tudo isso em 6 dias criativos. Não 6 dias em Kronos, mas em Kairós (mais sobre isso aqui, aqui, aqui e aqui). Essa é a concepção de nosso site, e se baseia tanto na Bíblia quanto naquilo que a ciência, de fato, tem nos mostrado. Em uma linguagem mais clara, podemos dizer que Deus formou a carne por meio de uma criação por processos evolutivos, o que se harmoniza com o texto de Eclesiastes 3:15 - 21, mas o espírito é algo que veio diretamente de Deus (para entender melhor esta distinção, veja este artigo aqui).

A essa tese que aponta a criação por processos evolutivos totalmente guiados e planejados por Deus a partir do pó da terra, gerando categoricamente espécies diferentes e culminando em Adão, levando em conta o Gênesis literalmente. nós podemos considerar não como evolucionismo teísta, mas como uma espécie de criacionismo progressista. Essa tese afirma que Deus criou aos poucos todos os seres vivos do planeta, em 6 dias durando em Kairós, e do jeito que está no livro de Gênesis. A diferença, contudo, está no processo com o qual Deus teria criado os seres vivos (entenda melhor este processo aqui) que pode ter sido por um processo evolutivo guiado por Deus, e não um processo guiado pela aleatoriedade.

Resumindo, a teologia adotada neste site é a Criacionista progressista mas considerando alguns pontos do Evolucionismo teísta (e não o deísta).

CONCLUSÃO

No final das contas, já podemos então discernir a respeito dos tipos de teses teológicas que consideram a teoria da evolução. Também pudemos ver os próls e contras de cada uma delas, e o que a Bíblia nos diz acerca delas e o que os opositores destas teorias também dizem acerca delas. E por fim, exibimos também a visão do nosso blog a respeito desse tema.

Independente de qualquer coisas - ou até mesmo dos problemas teológicos que podem surgir com a aceitação de um Gênesis simbólico, por exemplo - temos que entender que estas visões não são responsáveis nem pela nossa salvação nem pela nossa condenação. Por mais contraditório que possa parecer, uma pessoa pode ser evolucionista-deísta e ao mesmo tempo crer que a salvação vem de Cristo e pela Sua Palavra. E daí? Não é mais importante crer em Jesus do que em determinada teologia? Justamente por isso, não devemos condenar ou desprezar as pessoas que pensam diferente de nós no tocante a um assunto que não diz respeito diretamente a salvação em Cristo, como se para ser salvo tivéssemos que ser criacionistas da terra jovem ou algo do tipo. Claro, isso não quer dizer que nós tenhamos que ignorar esse tema, pois muitos "problemas teológicos" podem ser resolvidos com uma análise em cima do tema "Criação versus evolução".

Independente de você crer no criacionismo da Terra Jovem, ou no Evolucionismo Deísta, ou no Teísta, ou no Criacionismo Progressista, ou até na Teoria da Lacuna, fique em paz com Deus e com a sua consciência, mas não seja intransigente com aqueles que possuem uma opinião diferente da sua, mesmo amando tanto a Bíblia quanto você. Como disse certa vez o erúdito Agostinho:

"No essencial, unidadade. Na dúvida, liberdade. Em tudo, caridade."


BIBLIOGRAFIA:

http://www.gazetadopovo.com.br/blog/tubodeensaio/?id=974998

http://www.estudosgospel.com.br/diversos/duvidas-biblicas/existiu-uma-raca-pre-adamica.html

http://www.gotquestions.org/Portugues/evolucionismo-teista.html

http://adven.webnode.com.br/news/criacionismo-x-evolucionismo-x-evolucionismo-teista/

http://ressurreicao.com/index.php?option=com_content&view=article&id=130%3Aevolucionismo&catid=46%3Aseitas-a-heresias&Itemid=104&limitstart=2

http://defesabiblica.wordpress.com/2010/08/22/evolucionismo-teista-legitimo-ou-falsificacao/

http://roberto-cavalcanti.blogspot.com.br/2011/07/inconsistencias-teologicas-do.html

http://pastorclaudiosampaio.blogspot.com.br/2011/09/minhas-dificuldades-com-o-evolucionismo.html

http://www.portalevangelico.pt/noticia.asp?id=2159

http://www.cprf.co.uk/languages/portuguese_theisticevolutionquestions.htm

http://www.teologiapentecostal.com/2011/02/keller-e-pregacao-sobre-o-evolucionismo.html

5 comentários:

  1. Cara, esse site é tudo o que eu precisava!
    Muito obrigado pelo conteúdo de excelente qualidade.

    ResponderExcluir
  2. Só discordo sobre os animais não terem almas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ao dizer que os animais têm alma, você está pressupondo que Deus criou algo espiritual nos animais. A Bíblia diz que somente o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus. Logo, animais não têm alma.

      Excluir
    2. Ao dizer que os animais têm alma, você está pressupondo que Deus criou algo espiritual nos animais. A Bíblia diz que somente o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus. Logo, animais não têm alma.

      Excluir
  3. Obrigado pelo estudo. So gostaria de colaborar analisando a questão da imortalidade do homem e dos animais. Em genesis 3:22 fica claro que Adão era mortal, mas que poderia continuar a viver eternamente se continuasse a ter acesso à Árvore da Vida, o que se tornou impossível pelo fato de ter sido expulso do jardim do éden.

    ResponderExcluir