sábado, 18 de agosto de 2012

A Mentira Por Trás do Criacionismo 16 - Malabares com conceitos


"Evolução é só uma teoria, portanto jamais foi comprovada. Para se tornar uma lei ela teria que ser comprovada através de experimentos em laboratório mas... como é que se comprova em laboratório que o homem veio do macaco? Não tem como. Justamente por isso, a evolução, assim como o criacionismo, não tem o status de lei, apenas de teoria. Além disso, a teoria da evolução conduz ao ateísmo pois diz que o universo, por si só, evoluiu, desde partículas simples até as galáxias e o homem, excluindo totalmente Deus do processo. Os cientistas que acreditam na teoria da evolução, dizendo que a Terra tem 4,5 bilhões de anos de idade, são maus, perversos, infiéis, arrogantes, ateus, etc... Acreditar na teoria da evolução, então, está no mesmo nível que acreditar em Papai Noel."

Esse pequeno texto introdutório é um "resumo", na verdade, de uma palestra que vi certa vez ministrada por um Criacionista da Terra Jovem. E esse texto, na realidade, está de acordo com a teologia do Criacionismo da Terra Jovem, ou seja, ele representa muito bem o conceito que esses criacionistas possuem sobre o Método Científico e Teoria da evolução. Mas... o método científico é realmente da maneira que os criacionistas passam para as pessoas em seus estudos e palestras? É realmente verdade tudo o que foi falado sobre teoria da evolução ou não?

Nesse artigo, um dos maiores e mais problemáticos erros dentro do Criacionismo da Terra Jovem será "desmascarado". E por que problemático? Porque ele é simplesmente um dos maiores motivos da guerra "Criacionismo X Evolucionismo" se estender até os dias de hoje! É por isso que é de suma importância esclarecermos isso tudo. O título do artigo, "malabares com conceitos", também não é a toa, e brevemente você irá entender o porquê do título.

Mais uma vez, salientamos que principal o objetivo da página "Mentiras por Trás do Criacionismo" é revelar para todos os cristãos as mentiras que o Criacionismo da Terra Jovem conta mas que tentam "camuflar", impedindo até o acesso á verdade aos cristãos. Não é a toa que na Bíblia está declarado que "o povo perece por falta de conhecimento", e como podemos ver isso pode se aplicar não só a conhecimento da Palavra de Deus mas conhecimento de modo geral, já que os erros dos criacionistas acabam por ficar evidentes aos não-cristãos e daí tem-se a falsa impressão de que a Bíblia é anticientífica. Será correto, então, contribuir pra que a Bíbla seja rotulada assim, como o Criacionismo da Terra Jovem faz? Os fins justificam os meios??

Queira ver, então, mais uma realidade ocultada pelos criacionistas.


CONFUNDINDO AS COISAS

Para tal análise, vamos nos basear no texto do começo desse artigo. Enfim, vamos "destrinchá-lo". No final, reexibiremos o texto contendo comentários com base nas conclusões do presente artigo, afim de desmascarar a falácia da afirmação por completo.

Vamos começar com a primeira parte:

"Evolução é só uma teoria, portanto jamais foi comprovada. Para se tornar uma lei ela teria que ser comprovada através de experimentos em laboratório mas... como é que se comprova em laboratório que o homem veio do macaco? Não tem como. Justamente por isso, a evolução, assim como o criacionismo, não tem o status de lei, apenas de teoria."

Inicialmente cabe a nós perguntarmos... o que é científico ou não? o que é uma teoria? O que é uma lei? Vejamos a definição desses conceitos dada pelos criacionistas:

Teoria - explicação para um fato, necessitando de comprovação.

Lei - uma teoria comprovada através de experimentos em laboratório.



Uma esquematização bem simples pode explicar o que os criacionistas ensinam ser lei e teoria:



Esse conceito está certo ou errado? Errado. Definitivamente este esquema está muito longe daquilo que os cientistas realmente definem como lei e teoria...

Lei é a regra que descreve um fenômeno que ocorre com regularidade. É uma hipótese geralmente simples mas de abrangência geral que, sendo exaustivamente confrontada, testada e validada frente a um amplo e diverso conjunto de fatos, dá-lhes sempre sentido cronológico, lógico e causal, e por tal recebe um título "honorífico" que a destaca entre as demais, o título de lei. Em outras palavras, uma hipótese quando comprovada se torna uma lei.

Mas não se engane: lei jurídica é diferente de lei científica pois, ao contrário desta, a lei científica não tem o poder de impor que um fato ou fenômeno qualquer deva sempre com ela concordar. Pelo contrário, ela pode ou não se aplicar a determinados fenômenos.

E o que é hipótese? Uma hipótese é uma formulação provisória, com intenções de ser posteriormente demonstrada ou verificada, constituindo uma suposição admissível. É uma explicação que pretende ser demonstrada ou verificada.

E por fim, o que vem a ser... teoria? Uma teoria é um composto de hipóteses (e leis) comprovadas e falseáveis, integrada por um conjunto de evidências...

Veja: a mecânica clássica newtoniana é baseada nas três leis de Newton e a segunda lei descreve a lei da gravitação universal. A Teoria Eletromagnética de Maxwell incluiu a lei de Faraday, de Coulomb etc. ; a Termodinâmica é baseada em 4 leis básicas. Em outras palavras, as teorias são modelos físicos, matemáticos etc. que descrevem as leis da natureza. A Teoria da Relatividade Geral de Einstein foi comprovada com a observação do desvio gravitacional da luz por meio da observação de um eclipse, mas não se tornou lei por isso.

Outra distinção importante é que não se prova teoria científica, mas se faz comprovações. Ela, geralmente, faz previsões e ela é comprovada por meio destas, contudo, nada impede que fatos novos no futuro tragam a necessidade de uma nova Teoria que, no entanto, deve englobar todas as previsões feitas pela teoria anterior. Teoremas matemáticos (como o Teorema de Pitágoras) que são demonstrados e provados e, uma vez que o se tenha feito, nada no futuro derrubará tais teoremas.Portanto, não confunda teoria científica de teoria popular (esta segunda assemelha-se com o conceito de hipótese...).

Percebeu a diferença entre o que o criacionismo tem nos oferecido e a realidade da situação?

Naquele esquema que vimos anteriormente, então, os nomes estão trocados: onde está escrito teoria deveria estar escrito lei, e no caso, teoria seria uma "categoria" que abrangeria conjunto de leis... Então trocando os nomes o argumento torna-se correto?

Não, a coisa não é assim tão simples. Alguns criacionistas da Terra Jovem(como o Físico Adauto Lourenço), hoje, estão cientes desse erro. E para tal, alegam que a teoria da evolução não pode nem ser chamada de teoria, mas sim de hipótese...

Já vimos o conceito de hipótese anteriormente. Então, afinal de contas, a "teoria" da evolução é uma hipótese ou teoria?

COMO SE FAZ CIÊNCIA?


De acordo com o pastor Silas Malafaia, "o que não pode ser observado e experimentado não é ciência." Ele também afirma que como não tinha ninguém presente acompanhando o processo evolutivo, tudo isso surgiu da imaginação dos cientistas. Justamente por isso, o Físico Adauto Lourenço e a Sociedade Criacionista Brasileira afirma que a evolução não é uma teoria, mas no máximo uma hipótese - e já vimos o conceito de hipótese lá atrás...

Bem, originalmente, essa definição para ciência que os criacionistas dão não está certa... O método científico consiste essencialmente em identificar e medir os efeitos decorrentes de um determinado fenômeno e explicar este fenômeno a partir destas medições. Pela lógica acima, a teoria atômica não pertence à ciência, pois ninguém nunca viu um átomo. Logo a bomba de Hiroshima e os reatores nucleares são revelações da imaginação dos cientistas...

Ninguém nunca viu um núcleo estelar também e, pela lógica, seria apenas imaginação dizer que a fusão do hidrogênio em hélio aumenta as fornalhas soloares...
Isso quer dizer o fato de alguma coisa não ser experimental não quer dizer que não seja científica. Opa... Então, nesse caso, podemos considerar que o criacionismo é científico? Não exatamente, pois o Criacionismo privilegia uma posição de pensamento: a de que as coisas foram criadas por um designer. Porém, a ciência ela é imparcial: a teoria da gravitação procura explicar um fenomeno natural, mas não privilegia nenhuma posição de pensamento ou cosmogonia. É exatamente isso que torna o criacionismo não científico, mas sim apenas uma cosmogonia.

Para descobrir se a teoria da evolução é científica ou não, então, temos que levar em consideração, inicialmente:

- o conceito correto de teoria e de hipótese;

- que nem tudo o que não é testável em laboratório é anticientífico, mas tudo o que privilegia uma posição de pensamento não é científico;

Continuemos a análise...

COSMOGONIA ATEISTA X TEORIA DA EVOLUÇÃO

Eu já perguntei para um criacionista se ele sabia a diferença entre cosmogonia ateísta e teoria da evolução, e a resposta que eu esperava que sairia saiu do mesmo: não sei. Pois bem, um dos motivos da controvérsia criação x evolução (que já mostramos por meio de outros artigos que sequer deveria existir) é justamente a não compreensão desses termos por parte de alguns criacionistas. Nesse caso aí seria mais "ingenuidade" mesmo, e os ateus convictos como Richard Dawkins, um dos maiores anti-religiosos do mundo, acabam por  fazer parecer que realmente a teoria da evolução implica em ateísmo, e não deve ser assim.

Acontece que, como dissemos, a ciência não deve priorizar esse ou aquele tipo de posição de pensamento ou crença. Para que o método científico funcione ele deve ser imparcial (esse é um dos motivos do criacionismo ser considerado uma pseudo-ciência, uma vez que ele inegavelmente privilegia uma crença). Você não vê, por exemplo, livros de física pregando alguma religião ou sugerindo alguma implicação religiosa. Agora, se pegarmos um livro criacionista, vamos ver claramente que o texto sugere, quase sempre, uma implicação religiosa. Po isso, podemos afirmar então que o criacionismo é uma cosmogonia, isto é, uma filosofia que procura explicar a origem do cosmos, mas não uma teoria científica justamente pela clara falta de imparcialidade.

Da mesma forma, o (verdadeiro) estudo da teoria da evolução deve ser imparcial, não privilegiando nenhuma posição de pensamento, nem sequer a ateísta, para ser considerado científico.

No entanto, a cosmogonia ateísta sim passa longe da imparcialidade. Você não vai encontrar um estudo acadêmico de ciências que procura derrubar o criacionismo ou então a Bíblia; porém se você encontrar, pode apostar que esse estudo constitui-se de algo mais filosófico do que científico, tal qual os livros de Richard Dawkins. Da mesma forma que a cosmogonia criacionista privilegia uma posição de pensamento sobre a origem do cosmos, a cosmogonia ateísta (também chamada de "cosmogonia evolucionista", "cosmogonia naturalista" e "cosmogonia materialista") privilegia também uma outra posição de pensamento sobre a origem do cosmos: a de que ele se originou por aleatoriedades, por "pura sorte", enquanto que nenhum ser divino teria botado um dedo sequer ali para que tudo viesse a existir. É isso o que apregoa essa cosmogonia.

Bem, vamos voltar agora a nossa atenção a mais um trecho daquele texto inicial:

"(...)Além disso, a teoria da evolução conduz ao ateísmo pois diz que o universo, por si só, evoluiu, desde partículas simples até as galáxias e o homem, excluindo totalmente Deus do processo. Os cientistas que acreditam na teoria da evolução, dizendo que a Terra tem 4,5 bilhões de anos de idade, são maus, perversos, infiéis, arrogantes, ateus, etc... (...)"

Vendo esse texto, então você pode se perguntar: Ora, mas se a teoria da evolução defende a origem do universo pelo acaso, a origem da vida pelo acaso, a Terra com bilhões de anos e as espécies evoluindo aleatoriamente até o homem, então ela é parcial, idêntica a cosmogonia ateísta e portanto não-científica, não é? NÃO. E sabe por quê? Porque a teoria da evolução não estuda a origem do universo, a origem da vida e não estuda a idade da Terra!! Quem coloca todos esses temas num pacote só e diz que tudo foi ao acaso é a cosmogonia ateísta, e não a teoria da evolução. Entendeu?

Já deu para perceber a mistura que se faz com os conceitos "cosmogonia ateísta" e "teoria da evolução", que são coisas bem distintas. Ocorre que a cosmogonia se utiliza muito da teoria da evolução para se promover, e não só dela, ela se utiliza também da teoria do Big Bang (mesmo o Big Bang apontando mais para um universo criacionista do que qualquer outra coisa...), se utiliza dos estudos em torno da origem química da vida (mesmo esses estudos apontando a origem comum de todos os seres viventes como sendo da argila, que teria agido como uma catalizadora na origem da vida... ) e se utiliza, por fim, da geocronologia (mesmo a ordem dos eventos da pré-história coincidindo com os Dias da Criação de Gênesis 1... ). Do jeito que os ateus e agnósticos argumentam, fica parecendo que a teoria da evolução se constitui de tudo isso, mas pensar isso é um grande erro que os criacionistas cometem há mais de um século (como seria bom se a geração de hoje despertasse para esse fato...).

E A TEORIA DA EVOLUÇÃO, O QUE É?

Agora que já conhecemos um pouco do que é cosmogonia e a respeito da imparcialidade que se deve ter quando adentramos no campo das ciências, vamos ver se de fato a teoria da evolução pode ser chamada de hipótese ou de teoria científica.

A teoria da evolução , em primeiro lugar, simplesmente se omite com relação a questão de Deus nos seus estudos, mas ela o faz não porque é ateísta, mas sim justamente pela sua imparcialidade, assim como todas as outras teorias científicas. Existem, sim, evidências do Design na evolução biológica, e isso deve ser levado em conta, mas a teoria em si é imparcial quando a isso. Logo, no quesito da imparcialidade, a teoria da evolução pode sim ser considerada científica. Isso coloca, aliás, numa saia justa a argumentação inicial criacionista, a de que os cientistas que aceitam a evolução são maus e perversos. Ora, se a ciência - e  a teoria da evolução - não privilegiam posição de pensamento alguma, como pode a teoria da evolução determinar as atitudes e ética de alguém? Ademais, existem muitos - muitos mesmo - cientistas cristãos que admitem a veracidade da evolução biológica. Um dos mais famosos é o defensor da Tese do Equilíbrio Pontuado, o cientista Stephen Jay Gold.

Mas a teoria da evolução, para ser uma teoria científica de fato, deve se compor de fatos e "leis" comprovadas, certo? E... se esses fatos e leis existirem?

Talvez o que você vai ver agora você ainda não tenha visto em nenhum livro criacionista, isso porque a maioria dos criacionistas pensa deliberadamente que teoria da evolução e cosmogonia ateísta é a mesma coisa.

Bom, eu listei abaixo algumas das leis, hipóteses testadas e comprovadas e áreas do conhecimento que compõem a teoria da evolução:

- embriologia comparada
- anatomia comparada
- lei da analogia e homologia
- lei de Dollo ou lei da irreversabilidade evolutiva
- lei da universalidade do código genético
- lei da extinção
- hipótese da Rainha Vermelha (testada a nível de microevolução)
- lei da origem comum universal
- genética das populações
- crossing over
- conflito intragenômico
- Efeito fundador
- Fisiologia do exercício
- seres coespecíficos e heteroespecíficos
- Deriva genética
- Princípio de Hard-Weinberg
- Co-evolução
- Fluxo gênico
- Seleção Natural
- Evolução por mutação e recombinação de genes
- Especiação
- Filogenia
- Cladística
- Psicologia evolutiva

E muitos outros...

Cabe lembrar também que, assim como a teoria da relatividade de Einstein, a teoria da evolução não é estática, ou seja, há muita discussão ainda a respeito dos mecanismos que levam a evolução a acontecer, mesmo a teoria sendo um fato num todo (justamente por isso que costumo dizer que é um equívoco mesmo para um ateu dizer que a evolução substitui Deus, visto que existem discussões justamente no que diz respeito ao seu funcionamento). O equilíbrio pontuado, por exemplo, é uma das explicações para o mecanismo evolutivo que mais se encaixa com a realidade - e a que mais dá margem para um Criador...

Por fim, podemos nos perguntar sobre o seguinte: a evolução foi testada? Foi comprovada em laboratório? Claro que não tem como reproduzirmos em laboratório uma evolução que durou milhões de anos (ao menos não por enquanto), mas assim como a combustão do hélio que ocorre dentro do sol foi reproduzida numa escala menor em laboratório e comprovou o fato, a evolução já pôde sim ser observada em laboratório. Um  exemplo bem interessante são alguns animais domésticos, que não foram criados de "ex-nihilo", mas sim através de seleção artificial. Os cientistas já observaram e observam de perto o surgimento de novas espécies, embora isso não seja sequer divulgado pelos criacionistas. Um estudo na Nature mostrou ao vivo e a cores os efeitos da Seleção Natural em cima do lagarto Anolis. Bactérias também "evoluem" e se tornam cada vez mais resistentes a antibióticos. Nos laboratórios, novos animais por vezes são forçados a evoluir artificialmente, por seleção artificial, e geram novos animais. A Drosophila synthetica, por exemplo, é uma mosca-da-fruta criada em laboratório por meio de mutações gênicas. O que será, então, que teríamos se desenvolvessemos transformações nas espécies em um tempo de milhões de anos??

Depois de tudo isso, leia o final do texto do início do artigo:

"(...)Acreditar na teoria da evolução, então, está no mesmo nível que acreditar em Papai Noel."


Bom, será que está no mesmo nível? A existência do Papai Noel não foi testada em laboratório nem é composta de leis, hipóteses testadas e comprovadas nem de campos do conhecimento... Essa afirmação, além de no mínimo arrogante, mostra como os criacionistas conhecem pouca coisa sobre teoria da evolução e simplesmente não compreendem direito o pouco que "conhecem".

Então, não há como negar isso: a teoria da evolução, realmente é científica. A cosmogonia ateísta, nem tanto, assim como a criacionista. Aliás, só o fato do criacionismo se tratar de uma cosmogonia inteira (tendo uma versatilidade tão grande a ponto de adentrar no campo da Filosofia literalmente) e de privilegiar uma posição de pensamento em oposição á ateísta usando argumentos obsoletos e errados (como o de afirmar que a evolução é "apenas" uma teoria) já o enquadra como não-científico ou pseudo-científico.

CONCLUSÃO

Agora que já destrinchamos a questão e sabemos que a teoria da evolução não é uma teoria popular mas sim uma teoria científica - e que existe uma baita diferença entre esses termos - vamos reexibir o texto do começo do artigo, conforme prometido, porém com comentários "remendando o texto" e mostrando as falhas exatas, linha por linha:

"Evolução é só uma teoria, portanto jamais foi comprovada. (evolução é uma teoria científica, e uma teoria científica só o é por ter sido comprovada por várias evidências; ela não é uma "teoria popular") Para se tornar uma lei ela teria que ser comprovada através de experimentos em laboratório (leis não são comprovadas, elas apenas explicam determinado fenômeno. As hipóteses sim são comprovadas) mas... como é que se comprova em laboratório que o homem veio do macaco? (a teoria da evolução não diz que o homem veio do macaco [vide o seguinte artigo], mas já pôde ser observada em laboratório diversas vezes). Não tem como (lembrando que análise empírica também faz parte do método científico e nem tudo é experimental. Por exemplo, ninguém nunca viu um átomo mas é comprovada sua existência por análise empírica) . Justamente por isso, a evolução, assim como o criacionismo, não tem o status de lei, apenas de teoria. (uma teoria jamais se torna uma lei. Uma hipótese sim, mas teoria não. As leis, pelo contrário, estão contidas dentro de uma teoria!) Além disso, a teoria da evolução conduz ao ateísmo (como a teoria da evolução pode conduzir ao ateísmo se ela mesma é imparcial no que diz respeito a Deus?) pois diz que o universo, por si só, evoluiu, desde partículas simples até as galáxias e o homem, excluindo totalmente Deus do processo (quem diz isso é a cosmogonia ateísta, e não a teoria da evolução. A cosmogonia ateísta, sim, conduz ao ateísmo). Os cientistas que acreditam na teoria da evolução, dizendo que a Terra tem 4,5 bilhões de anos de idade, são maus, perversos, infiéis, arrogantes, ateus, etc... (se a ciência é imparcial, como uma teoria científica pode determinar as atitudes e ética de alguém?) Acreditar na teoria da evolução, então, está no mesmo nível que acreditar em Papai Noel. (provavelmente o criacionista que alegou isso tudo, ironicamente falando, é quem deve ter colocado uma meia perto da lareira para o Papai Noel colocar o seu presente...)"

Mais uma vez, um conceito do Criacionismo da Terra Jovem se mostrou inviável. E muitas pessoas acabam caindo nesse mesmo erro ao jogar todo o conceito da cosmogonia ateísta em cima da teoria da evolução (e consequentemente, as implicações éticas que essa cosmogonia pode gerar também). Será que você agora entendeu porque o artigo se chama "Malabares com conceitos"? Pois é exatamente isso o que o criacionismo faz com os conceitos do método científico e da teoria da evolução: um malabarismo de circo.

Finalizo o artigo repetindo um parágrafo desse mesmo artigo, da parte inicial, que pode nos fazer refletir acerca disso tudo:

"Não é a toa que na Bíblia está declarado que "o povo perece por falta de conhecimento", e como podemos ver isso pode se aplicar não só a conhecimento da Palavra de Deus mas conhecimento de modo geral, já que os erros dos criacionistas acabam por ficar evidentes aos não-cristãos e daí tem-se a falsa impressão de que a Bíblia é anticientífica. Será correto, então, contribuir pra que a Bíbla seja rotulada assim, como o Criacionismo da Terra Jovem faz? Os fins justificam os meios??"

Há algo a se pensar...


BIBLIOGRAFIA




http://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_%28ci%C3%AAncia%29

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hip%C3%B3tese

Um comentário:

  1. Gostaria de cumprimentar o moderador. muito bom o artigo, esclarecedor.

    um verdadeiro cristão. não hipócrita e falacioso.

    gostaria que todos fossem assim, abraços.

    ResponderExcluir