Em Destaque:

A morte na panela e os erros criacionistas

Recentemente, assisti a uma pregação do pastor Adeildo de Oliveira Silva, da igreja o qual congrego, que me chamou muito a atenção por est...

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Os Dias da Criação (parte 3)

Tomando a conclusão de que os Dias da Criação são períodos de 24 horas para Deus (tempo Kairós), a situação sem dúvida dá margem a uma terra bem mais antiga do que defendem os Criacionistas da Terra Jovem.
Porém, aparentemente a alegação (aparentemente) pode apresentar problemas, como:

- Como Deus pode ter dito que tudo que havia feito era bom se durante os dias da criação prevalecia na natureza a seleção natural (Lei do Mais Apto)?

- "Tardes" e "Manhãs" no tempo Kairós seriam grandes períodos de claridade e escuridão. Resultado: toda a vida na terra seria exterminada...

Perguntas sem resposta?

Vejamos o próximo tópico:

O SOL E A LUA

Por mais que muitos crentes digam que a luz anterior ao 4º dia seja luz divina, admite-se que os primeiros seres vivos, em especial as plantas, não poderiam sobreviver sem a luz e o calor do sol. Como explicar então a criação das plantas e outros seres vivos antes do sol e da lua como diz a Bíblia? Há duas opções e nenhuma delas é inválida:

- Sobrenatural: Não dá para saber como as plantas e outros seres se sustentaram sem o calor do sol. Talvez o sobrenatural somente explique esse evento.

- Sol e Lua já existiam desde o começo da Criação; porém no 4º dia eles tornam-se visíveis no céu.

A última alternativa é a mais provável, por mais incrível que possa parecer.
Previamente, no 1º Dia, usou-se a expressão: "Haja luz". O termo hebraico ali utilizado para "luz" é 'ohr, que significa luz em sentido geral. Mas no 4º dia, porém, a palavra hebráica para luz já é outra: Ma.'or, que significa a fonte de luz. Uma tradução mais específica do termo hebraico 'Ohr é como "luz difusa", e de Ma.'or, no versículo 14 do 1º capítulo de Gênesis, significa "algo produzindo luz". No primeiro Dia criativo, a luz difusa evidentemente penetrava nas faixas envolventes da Terra, mas as fontes dessa luz não podiam ser vistas por um observador terrestre por causa das camadas de nuvens que envolviam a Terra. Já no 4º dia, a atmosfera sofreu alguma alteração, de modo que podiam ser visíveis as fontes de luz: sol, lua e estrelas, demarcando assim os dias terrestres e anos. Ademais, isso fica ainda mais claro quando vemos que quando diz "E Deus passou a fazer (‘a-sah’) os dois grandes luminares [...]", no sentido original do hebraico não significa "criar", mas sim para realizar, ou levar a termo.

Por outro lado, povo hebreu não era um povo de ciência avançada... Portanto, é de se esperar que o relato da Criação fosse passado de uma maneira que ficaria fácil de ser compreendido por esse povo, e com isso fica claro que Gn 1 não deve ser considerado como relato jornalístico preocupado em descrever como Deus criou, mas como uma afirmação de fé do autor sobre quem criou o mundo e o que é o homem.

Tendo por base as duas considerações acima, conclui-se que o texto narra os eventos da Criação sob o ponto de vista de um observador terrestre. Ou seja, o sol e a lua ficariam discerníveis no céu terrestre só a partir do 4º dia, antes disso só viria para a Terra o calor e luz do sol. Realmente, antes de um certo período geológico chamado Carbonífero, a atmosfera terrestre era muito densa, de modo que ficaria difícil mesmo discernir os "luminares" no céu. Mais uma vez, a ciência atesta daquilo que pode se ver nas Escrituras.

Mas ainda existe mais algumas coisas para se ver...


A TARDE E MANHÃ: PRINCIPAL DIFICULDADE?


Ao se citar cada "dia" em Gênesis diz-se também que houve tarde e manhã. Sendo esses dias no tempo de Deus, o que dizer das tardes e manhãs? Seriam simbólicos ou grandes períodos de claridade e escuridão?

É certo que sendo os dias da criação literais, como já bem vimos, a interpretação de "tarde e manhã" como simbólico não tem qualquer base e se torna ilógico. Logo também são literias, fazem parte do relato.

A segunda "opção" é que estes fossem grandes períodos de claridade e escuridão. No entanto, admitir isso seria admitir também que a vida teria sido gravemente afetada, pois com grandes períodos de claridade e outros de escuridão as plantas não fariam fotossíntese direito e a vida não teria como se sustentar. Certo? Não, exatamente.

Dias e noites "materiais" sempre houveram desde que a luz do sol alumiou a Terra pela primeira vez. Entretanto, os dias no tempo de Deus foram realmente "grandes versões", se é que podemos dizer assim, dos dias humanos, pois também tiveram manhã e noite. Como assim?

De acordo com a analise científica do passado da Terra, houve períodos estáveis em nosso planeta, onde a luz do sol iluminava-o constantemente (afinal enquanto no Brasil é dia, no japão é noite, e vice-versa) e períodos onde nuvens de poeira impedia a entrada plena da luz do sol no planeta, ou seja, um bloqueio solar. Esses "bloqueios solares" apareceram cinco vezes, e três deles geraram extinções em massa, e sempre só sobreviviam as espécies que iriam culminar nas de hoje. Curiosamente, o fato de ter existido períodos estáveis e de bloqueios solares (os de bloqueio solar duraram não muito tempo, deixo claro) se encaixa com dois fatos bíblicos:

- Para os antigos, os dias iniciavam-se com a tarde, que era seguida pela manhã. Cada Dia Criativo, da mesma forma, iniciou-se com uma "tarde" seguida por uma "manhã", pré-estabelecidos por Deus no princípio da Criação (Gn 1,5);

- O propósito da Criação desde o início caminhou para o que temos hoje, já estava tudo pré-estabelecido por Deus. Isso se harmoniza com o fato de que nas extinções em massa só as espécies antecedentes ás modernas é que sobreviveram.

Deus dizia que tudo quanto havia feito era bom. E dizia perto do findar de cada dia, onde já se achava definida a criação daquela era. Certamente que Deus achou bom a criação que haveria de culminar na do sexto dia, bem como na sua obra prima, o homem.

Entretanto, o porquê da criação e posterior extermínio de determinados seres vivos antes do homem permanece e talvez sempre permanecerá um mistério. A Bíblia não diz o porquê e por isso convém que por hora deixemos do jeito que está.


A "TEORIA GEOLÓGICA DA CRIAÇÃO"


O estudo da vida pré-histórica é chamado de paleontologia e tem por base, principalmente, os estudos dos vestígios de seres vivos do passado e as camadas geológicas. Com todos esses dados pode-se traçar um perfil científico do panorama terrestre muito antes de Adão aparecer.

E, surpreendentemente, nós podemos traçar um paralelo muito bem definido entre o relato bíblico da Criação e a Pré-História. Essa relação pode ser seguramente chamada "teoria geológica da Criação". Sendo os dias da Criação no tempo de Deus, traçar essa relação é possível. O autor de gênesis quer dizer que Deus criou o mundo e não como Deus criou e em quanto tempo a criação foi consumada. A ação criadora em seis dias e o descanso no sétimo tem por objetivo claro a instituição sagrada do repouso dominical (sábado para o judaísmo). Com isso, a descrição do Gn 1 fica perfeitamente de acordo com a ordem em que o mundo foi criado, segundo a Ciência. A intenção do autor é clara como elemento teológico: Tudo vem de Deus, para quem o tempo é eterno.

O texto inspirado ganha abrangência e não conflita com os conhecimentos atuais que atestam a existência do mundo há 13,7 bilhões de anos e o aparecimento do homem no mundo há cerca de 200 mil anos. O tempo na Bíblia é um tempo lógico, não cronológico.

Como nós iremos ver a partir de agora, por inspiração divina o autor do Gênesis (Moisés) se antecipou às ciências em muitos séculos. Isso é uma evidência gritante da inerrância Bíblica. Vamos lá:

No início - logo após Deus ter criado tudo a partir de um ponto inicial, o "Big Bang" - a Terra estava em estado caótico, daí autor alegar que a Terra era "sem forma e vazia" - uma gigantesca bola incandescente espalhando magma por todo lado. A água existia apenas na forma gasosa na atmosfera da Terra, daí a menção "e o espírito de Deus movia-se sobre as águas". Havia escuridão por todo o lado. Motivo? Dados recentes da NASA mostram que planetas como a Terra se formam na escuridão de refugo e detritos da sua estrela central. Com o tempo, o planeta vai amadurecendo dentro de seu casulo empoeirado de forma gradual, e com isso acaba sugando toda a poeira entre ele e o sol, fazendo ele ter luz - porém uma luz difusa, o qual era impossível de ser ver a fonte. Foi o primeiro dia (no tempo de Deus), que durou bilhões de anos.

Depois, graças a um bloqueio da luz do sol ("tarde") a Terra foi esfriando e cada vez mais se definindo - chuvas torrenciais transformam a água da atmosfera em água líquida; e assim é o segundo dia. Com o contínuo esfriamento da terra (causado por outro bloqueio) e a separação de terra e água começam a surgir formas primitivas de seres vivos, há o surgimento das primeiras árvores, e é o terceiro dia (na Bíblia é citada a criação das plantas, porém a Bíblia não deixa com que não haja margem para que algumas espécies de seres vivos totalmente diferentes das modernas tivessem existido nesse tempo; também porque a geologia mostra que realmente tais seres existiram). Depois de um bloqueio solar que exterminou os placodermos (seres marinhos bizarros que podem ter sido os ancestrais dos peixes ósseos, mas que não se pareciam com os peixes que hoje vemos), o sol, a lua e as estrelas começam a serem vistos na atmosfera por causa do aumento do oxigênio na atmosfera, e assim definitivamente surgem os dias e noites (no nosso tempo). É o quarto dia. Iniciando com um bloqueio solar que fez com que somente os seres vivos que originariam os atuais sobrevivessem, o quinto dia vê a fauna marinha de hoje começando a se definir, o planeta sendo povoado por "grandes monstros marinhos"(dinossauros e outros seres similares á dragões, pois a palavra hebráica taninim em gênesis 1,21 pode significar "monstros marinhos" ou "dragões") e as aves. Esse é o quinto dia.

Misteriosamente, no começo do sexto dia os dinossauros são extintos devido a um efeito estufa que bloqueia parcialmente a luz do sol, e mais uma vez só sobrevivem as espécies antecessores das formas de vida atuais, que se definem plenamente nesse novo dia.Depois de milhões de anos que existiam seres vivos na terra surge o homem, criado á imagem e semelhança de Deus. Todo o espetáculo da Criação se encerra ao início do sétimo dia, que não teve bloqueio solar como os que já tiveram (por isso não há a citação "e houve tarde e manhã, o dia sétimo).

A ação de Deus se manifestara em todas as fases da criação. Mas a criação do homem representou uma culminância na criação. Deus faz algo que passa além da vida material. É como se Deus se apaixonasse por suas obras e quisesse fazer parte delas através de um ser capaz de viver em comunhão com Ele.

Nada do que foi citado acima contradiz o que se encontra na Bíblia nem a ciência.

E mais uma vez é comprovado a veracidade de um livro que pra muitos é "conversa pra boi dormir"...

Mas o mais interessante mesmo é a probabilidade de Moisés acertar a ordem dos relatos da Criação, o que prova a inspiração divina. Seria a mesma que, de olhos fechados, uma pessoa retirar duma caixa, por acaso, os números de 1 a10, em ordem consecutiva. As probabilidades de conseguir isso na primeira tentativa são de 1 em 3628800!! Será que é coincidência Moisés ter "acertado" a ordem dos eventos da Criação ou tinha alguém (ou algum ser) lhe transmitindo tais informações?

(continua)



16 comentários:

  1. Interessante!!! Quero mais informações sobre períodos de bloqueio solar, poste fontes por favor!
    Ah, queria saber se há na Bíblia alguma referência às Eras Glacias, Abçs

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz de ter gostado do artigo. Tem uma página da Wikipédia que fala das extinções em massa: http://pt.wikipedia.org/wiki/Extin%C3%A7%C3%A3o_em_massa#Maiores_extin.C3.A7.C3.B5es_em_massa
    Sendo que as extinções que se referem aos bloqueios solares de Gênesis são: extinção devoniana, extinção Permo-triássica e K-t (a do holoceno é consequência da queda do homem).

    Sim, há. Algumas "pistas" do capítulo 3 de Gênesis indicam que quando a Terra foi amaldiçoada por Adão, repentinamente iniciou-se uma nova era glacial, prova disso são os espinheiros citados na Bíblia, típico de regiões glaciares, e o fato de Deus ter feito peles de animais para eles se protegerem.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito desse blog, tiro muito proveito das publicações, mas infelizmente ainda insistem em fazer associação entre a Criação descrita em Gênesis e a Teoria da Evolução, que como falei em outra publicação, nada têm a ver uma com a outra.

    Foi citado aqui que, "durante os dias da criação, prevalecia a lei do mais forte, ou SELEÇÃO NATURAL".

    Eu discordo completamente, e o faço baseado em Gênesis 1.29 e 30., onde Deus determina que TODO animal da terra, TODO réptil, TODA ave dos céus se ALIMENTE da ERVA VERDE.

    Portanto, não há como conciliar Criação com Evolução.
    Na Criação de Gênesis não há de forma alguma Seleção Natural, os animais que hoje são carnívoros e se alimentam uns dos outros, só passaram a agir dessa forma depois que Deus amaldiçoou a Terra por causa do PECADO! Antes do pecado, a terra era um paraíso, todos os animais, e também o homem eram VEGETARIANOS!
    Até mesmo as plantas só vieram a produziram espinhos e cardos após a maldição do pecado.

    Tudo que Deus havia feito era MUITO BOM! PERFEITO! A Criação estava, por fim, ORGANIZADA, não havia mortes, somente a vida.
    Mas aí veio o pecado, que trouxe a morte, tanto para o homem, quanto para animais.
    Então, o que estava organizado, com perfeição, começou a se desorganizar... ervas produzindo espinhos, cardos... animais se alimentando de outros animais... começou aí a “seleção natural”. Mas não nas dimensões citadas pela Teoria Evolucionista.

    Espero ter colaborado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora, sobre isso, que é um tema pertinente levantado por você, gostaria de indicar uma série de artigos que explica bem essa questão: http://genesisum.blogspot.com.br/2010/11/o-predatismo-e-o-genesis-parte-1.html

      Sobre evolução, indico este artigo também

      E complementando, sobre a questão da evolução, indico esses artigos aqui:
      http://genesisum.blogspot.com.br/2011/02/estudando-origem-do-homem-parte-1.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/2011/12/teoria-da-evolucao-segundo-biblia.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/2012/09/e-vida-surgiu-como.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/2010/07/criacao-especial-ou-criacao-gradual.html

      http://genesisum.blogspot.com.br/2013/06/conhecendo-melhor-o-criacionismo.html

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  4. Sobre o DIA ser ou não de 24 horas. Acredito que não, baseado em Gênesis 1.24 a 31. e Gênesis 2.19 a 23.

    Vejamos: Gênesis (1.24 a 31)
    -Esses versículos relatam a Criação dos animais da terra, gado, réptil, feras, do HOMEM e da MULHER apenas no SEXTO DIA.

    Gênesis 2.19 a 23
    Já esses versículos nos mostram mais detalhes do sexto dia, onde Deus fez muitas outras coisas. Além de ter criado os animais da terra (gado, réptil, feras), HOMEM e MULHER, Ele também plantou o Jardim do Édem e pôs o HOMEM lá, para trabalhar no jardim, lavrando e guardando. Detalhe, quando Deus pôs o homem no jardim do Édem, a MULHER ainda não havia sido criada, ele estava só, sem adjutora.

    Ou seja, no SEXTO DIA, Deus criou animais da terra, o homem, plantou o jardim do Édem, pôs o homem lá para lavrar o jardim, fez crescer árvores frutíferas para mantimento do homem, chamou todo o animal do campo e toda ave dos céus para que Adão pudesse colocar seus nomes, e depois de tudo isso, fez cair um sono pesado sobre Adão, tomou uma de suas costelas e FORMOU a mulher.

    Em Gênesis 2.4 a palavra “Yom” é traduzida como “DIA”, declarando o período de temo em que Deus criou todas as coisas. “Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no DIA em que o Senhor Deus fez a terra e os céus”.

    Creio que durante todo esse tempo sozinho, homem passou, dias, e noites, tardes e manhãs, períodos de luz, e sem luz, ou seja, dias de 24 horas lavrando o jardim, nomeando os animais do campo e as aves dos céus.

    Portanto, não há base bíblica que sustente a idéia de “dias de 24 horas” nos períodos dos 6 dias da Criação relatada em Gênesis.

    Quero lembrar que este mesmo comentário refuta a idéia de o homem ser parte de um processo evolutivo, já que o HOMEM teria “evoluído” completamente (homo sapiens) antes mesmo da MULHER existir. Não tem como conciliar Criação de Deus com Teoria Evolucionista.

    Espero ter ajudado.

    Issacar Teles
    (Membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Pernambuco)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Issacar, argumento excelente! Muito obrigado, espero que ele venha contribuir e muito para as pessoas que acessarem esse artigo do blog!

      Fique na paz do Senhor!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Removeram meu comentário porque realmente não têm uma base teológica séria para ser citada aqui.

    Obrigado por provarem que estou correto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anderson, bom dia!
      Não consegui achar seu email na descrição da sua conta, por isso não enviei, fora que fiquei um tempo sem mexer no blog... e se apaguei os seus comentários é porque eles eram OFENSIVOS e na intenção de BOICOTE, e acho válido argumentar sem desrepeitar, com crítica construtiva. De qualquer forma eu devia tê-lo advertido antes, peço desculpas.

      Se quiser passar o seu email ou me chamar em off ficarei contente em poder atendê-lo sobre essa e outras questões. E não, por mais que eu lhe respeite e respeite sua visão, vc não só não está correto como também seria muita presunção minha dizer que estou, pois com algum novo estudo/descoberta eu posso mudar meus conceitos. Correto é só o Criador e a Palavra que O revela. Interpretação teológica, ainda sobre um tema que NÃO É decisivo para nossa salvação, como a duração dos dias de Gn 1, é oooutra coisa e é passível de sadio debate - não de boicotes.

      E eu excluí os outros comentários que vc colocou por questão de limpeza de página, e o do gotquestions porque nesse próprio artigo, na parte 2, responde a argumentação do site. Por fim, passo a você um texto mais atualizado sobre o tema, escrito por mim, que pode ser útil: http://grupopaleontos.wixsite.com/paleontos/single-post/2016/08/08/Os-Dias-da-Cria%C3%A7%C3%A3o

      Fica na paz, e aguardo seu retorno para conversarmos de forma respeitosa, sem ataques.

      Excluir
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  9. http://www.gotquestions.org/Portugues/dias-24-horas.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://grupopaleontos.wixsite.com/paleontos/single-post/2016/08/08/Os-Dias-da-Cria%C3%A7%C3%A3o

      Excluir
    2. Esse seu outro artigo do PALEONTOS é, com certeza, muito melhor elaborado que o desse blog!

      Quando falei de "estar correto" foi em dizer que o blog não apresentava fontes teológicas e não do meu ponte de vista. Sou um pesquisador e estou aqui para aprender, mas minhas pesquisas estão girando em torno de artigos teológicos.

      Sigo a internet em busca de pesquisadores como eu.

      Suas matérias, principalmente a do outro blog, são muito bem elaboradas e têm um ótimo argumento, mas não apresentam fontes teológicas - artigos, teses, livros, seminários, conferências, concílios, etc.

      Assim fica parecendo ter saído da sua cabeça para o papel, não há um lastro para a argumentação.

      Meu e-mail é andersonamrim@gmail.com nós podemos trocar idéias e fontes, pois esse é meu maior objetivo aqui. Não quero tirar nada apenas de minha cabeça ou de uma visão ou ideia que tive. Quero apoiar-me em estudos profundos tanto na Palavra como acompanhar o progresso que outros teólogos já fizeram nela também, mas com propriedade.

      Aguardo seu contato.

      Excluir